Encontrei, perdido lá por casa o Monólogos da Vagina. O livro tinha feito furor, foi adaptado ao teatro e correu meio mundo: decidi lê-lo.

Resultado:odiei. Terá sido por metade do livro ser uma massagem ao ego da autora ( “o que eu representei para aquelas mulheres, como a peça teve impacto, blablablabla”) ou por eu pertencer à geração Cosmopolitan (onde TUDO não só é chamado pelos nomes certos como explicado em letras garrafais e coloridas num quiosque perto de si)?

Deixe um comentário

Filed under Sem-categoria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s