O que nos aquece o mundo, o que nos determina as estações, o que nos impede de secar, inundar, congelar, o que torna os continentes habitáveis: uma corrente contínua que depende de equilíbrios frágeis entre sal e doce, quente e frio.

Surpreendentemente, o aquecimento global poderá desencadear uma nova idade do gelo (lentamente e não de forma brusca como ficcionado no argumento do filme “The Day After Tomorrow”).

Achei giro, quis partilhar. Lembra-me de quando planeio o desenrolar de qualquer coisa e imagino mil cenários possíveis, gradados do pior possível ao sonho impossível, e acontece invariavelmente o milionésimo último nunca imaginado. Deve ser uma lei universal, se calhar já está postulada, se calhar já existem modelos, talvez haja mesmo quem neste momento detenha o algoritmo para a contornar. Se houver, que se acuse, compro o algoritmo para o destruir, não abro mão do espanto de existir.

Advertisements

Deixe um comentário

Filed under Sem-categoria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s