A isto é que se chama abrir horizontes

isto é que é intercâmbio cultural: amanhã, vou pela primeira vez em 8 anos cortar o cabelo a uma cabeleireira que não a Ana e como se isto não chegasse, vou ter de explicar como quero tudo numa língua que não a minha quando na minha normalmente já é tarefa complicada (já treinei o vocabulário, com o apoio da Vogue e da Elle: “layered”, “light fringe”, “like this photo of Shirley Manson”). Isto exigiu grande preparação psicológica e, na verdade só o faço porque o visual Cidália Moreira não me assenta por aí além. Até agora o choque está a ser elevado: depois da dor de cabeça de escolher o salão, quando já achava que estava tudo decidido, tive de escolher entre “trainee”, “graduate stylist”, “jr stylist”, “sr stylists” e mais uns quantos nomes, a marcação não chegou, tive de trocar sms’s pré-fabricados a confirmar a confirmação. E se calhar está a escapar-me mais qualquer logística, estou recesosa.
Ainda estou a tempo de desistir.
Cortar em casa.
Fazer rastas.
Deixar crescer para ter um visual hippie no solsticio.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Sem-categoria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s