Comprei gerberas. Entre o roxo e o rosa. Uma cor artificial muito bem conseguida, disponível em qualquer esquina no “sítio do costume”. Hesitei ao comprrá-las porque me lembraram aquelas flores azuis tingidas a tinta das bic. E uma tulipas quase negras que um ano despontaram do nada no nosso jardim fruto de cruzamentos aleatórios. E, mais importante ainda, as flores compradas por Colin para envergonhar o nenúfar que matou Chloé. Aí, comprei-as.

“Na vida, o essencial é emitirem-se opiniões a priori a propósito de tudo. Efectivamente, bem se vê que as massas erram e os indivíduos têm sempre razão.(…) Existem apenas duas coisas: o amor, de todas as maneiras, com raparigas belas, e a música de Nova Orleães ou Duke Ellington. O resto deveria desaparecer, porque o resto é feio...”

Boris Vian, execerto do prólogo de “A Espuma dos Dias”


3 comentários

Filed under Sem-categoria

3 responses to “

  1. Mariana

    sim, oresto devia desaparecer em silencio, sem que ninguem percebesse. e dedicavamo-nos So as coisas bonitas!

  2. garfieldebart

    Hummm. Depois deixávamos de ter comparação para o belo. Apesar de achar que algumas pessoas deviam usar Burca e que algumas casas deviam ter taipais à frente acho que devem existir.

  3. Mariana

    so para dizer que….entreguei!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s